quinta-feira, 23 de dezembro de 2010


PERFORM’ARTE
I  ENCONTRO NACIONAL
DE PERFORMANCE

Não quero terminar o ano sem assinalar o 25º Aniversário da realização de PERFORM’ARTE – I ENCONTRO NACIONAL DE PERFORMANCE, que ocorreu de 13 a 28 de Abril de 1985, nos Claustros do Convento da Graça, na Galeria Nova, na Galeria Municipal e no Salão dos Bombeiros Voluntários, em Torres Vedras.

Na sequência das Alternativas - Festivais Internacionais de Arte Viva, organizados pelo crítico sediado em Paris Egídio Álvaro, realizadas entre 1981 e 1985, primeiro em Almada e a última em Cascais, eu e o Manoel Barbosa decidimos avançar com a organização de um Encontro que reunisse todos os performers portugueses activos nessa altura, na qual tivemos o apoio da Cooperativa de Comunicação e Cultura de Torres Vedras, através do professor (e meu ex-colega na E.S.B.A.L. Aurelindo Ceia), autor do magnífico cartaz e do catálogo do Encontro. E devo dizer que em 1985, uma estrutura independente editar um catálogo de 84 páginas, impresso num bom papel e com um design profissional, era extremamente complicado, ainda que para isso a C.C.C.T.V. tivesse conseguido o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

Mas a nossa preocupação não foi apenas a de organizar um Encontro de performers, com toda a difícil logística por falta de meios, mas o de dar uma visão mais alargada do que tinha sido a performance em Portugal até esse momento, assim como o de apresentar artistas que apesar de não serem performers, criavam obras em áreas afins.

E a par da apresentação de performances durante 3 dias, foi feita uma exposição bibliográfica com fotografias, recortes de imprensa, e toda a espécie de documentos produzidos pelos artistas participantes, e uma exposição foto-documental de homenagem a José Conduto, isto na Galeria Nova, onde o Manoel Barbosa apresentou também uma conferência sobre esta temática.

Na Galeria Municipal foram expostas obras de Alberto Carneiro, Albuquerque Mendes, Fernando Aguiar, Gerardo Burmester, Helena Almeida, Joana Rosa, Manuel Casimiro, Silvestre Pestana, e exibiram-se vídeos de António Barros, António Palolo, Ção Pestana, Grupo VideOporto, Manoel Barbosa, Rui Castelo Lopes, Rui Órfão, Silvestre Pestana e de Vitor Rua.

Para além de objecto estético e de conter os textos de apresentação dos organizadores, o catálogo inseriu uma componente mais teórica com o meu texto “Performance: a Intervenção Viva”, e uma “Cronologia Essencial”, de 1961 a 1985, de Manoel Barbosa, onde pela primeira vez se apresentou uma recolha mais ou menos exaustiva das apresentações no campo performático em Portugal. Isto para além das biografias, das fotografias de performances e de alguns textos dos restantes participantes.

Segundo o programa que editámos na altura (e a esta distância não garanto que não tenha havido alguma alteração) no dia 26 de Abril apresentaram os seus trabalhos Albuquerque Mendes, António Barros, António Melo, Grupoartitude 01 (António Barros, Rui Orfão, Isabel Carlos, Isabel Pinto, João Torres e José Louro), Ção Pestana, Gerardo Burmester e Rui Órfão, no dia 27 de Abril Armando Azevedo, Elisabete Mileu, Manoel Barbosa, Telectu, Pedro Tudela e Silvestre Pestana e, no dia 28 de Abril, António Olaio, Ícaro, Carlos Gordilho, Fernando Aguiar, Joana Rosa, Miguel Yeco e D. W. Art.

É claro que cada um destes dias merecia uma postagem independente, até para poder incluir fotografias das performances de todos os participantes, mas por falta de tempo isso ficará para uma outra oportunidade.

Devo no entanto referir que, ao contrário de agora acontece, em que a imprensa dispensa apenas uma ínfima parte da sua atenção às iniciativas culturais e, ainda assim, apenas a alguns (sempre os mesmos) nomes e espaços culturais, em 1985 conseguimos uma ampla cobertura da imprensa, com inúmeros artigos, a maior parte dos quais com fotografias, com muitos jornais a referirem-se a PERFORM’ARTE mais do que uma vez e a dedicarem-nos páginas inteiras. Refiro os principais: Diário de Notícias, O Dia, Primeiro de Janeiro, O Globo, TV Guia, Badaladas, Jornal de Notícias, Correio da Manhã, Jornal de Letras, Artes e Ideias, Êxito, A Capital, O Diário, O Jornal, Grande Reportagem, Comércio do Porto, Se7e, Diário Popular, Tempo e o Diário de Lisboa.


António Olaio

 Elisabete Mileu

Gerardo Burmester

 Miguel Yeco

 Manoel Barbosa + Telectu

Carlos Gordilho

António Melo

Silvestre Pestana

1 comentário:

Méon, disse...

Foi bom recordar este acontecimento. Inesquecível!
Na altura eu fazia parte da Direcção da Coop Comunicação e Cultura e trabalhei na produção deste Encontro.
Viva, Fernando Aguiar!